Uma Análise da Carta de Albert Einstein sobre “DEUS”!

Amados! Vamos começar, fazendo a seguinte análise! A ausência de algo, ao contrário do que muitos pensam, implica necessariamente, na existência de outra, mesmo que esta outra seja o caos ou, a escuridão, ou que simplesmente não tenhamos ainda definido o quê, mas, como no caso da “Matéria Escura”, que tanto intriga os cientistas! Ou, mesmo que não a entendamos ou percebamos a princípio!

A definição de escuridão, por exemplo, ou necessariamente do preto, como a ausência de luz, ou seja, no sentido físico, o preto é a ausência de cor, de todas as cores, ao contrário do branco, que é a soma de todas as cores, mas que isto não implica necessariamente e muito menos conceitualmente em inexistência de tudo, prova disto é que temos como resultado disto, o preto e tudo aquilo que ele representa. Por exemplo, no Marketing, principalmente no pessoal, ele representa poder, e responsabilidade social. O preto é uma das cores mais poderosa e, neutra que existe e é associada à elegância e força…

O Preto em Propaganda, Publicidade e Marketing, é associado com o poder, elegância, formalidade, mas também a morte, mal, e mistério. O preto é também, uma cor misteriosa associada ao medo e ao desconhecido, o escuro, o oculto…

E daí, que existe algo proveniente disto tudo, o caos, a escuridão, que neste sentido, passivo de conceito e estes, define-o, como algo existente! Sua inexistência diz respeito apenas, à ausência de todas as outras coisas, das quais, somos mais habituados em lidar com elas, ou seja, inexiste em relação aos conceitos e qualidades que definem, aquilo que conhecemos; criando assim uma nova identidade e, portanto, uma nova definição, e, a definição do nada, deixa de fazer sentido, ou seja, a partir do nada, e em se tratando de cores, a ausência de todas elas, resulta no preto, para um bom exemplo disto, conf. Gên. 1:1-3… Mas que, necessariamente, ao final das contas, implica na existência de algo diferente, do qual poderemos muito bem entender, com o conceito que os cientistas dão ao que chamam, de “antimatéria”, aquilo que por muitos anos, estava oculto aos olhos da comunidade científica! O que não significa dizer, que não existia, prova disto, é que ela é hoje, motivo de vários estudos! Mas, principalmente, com o que é definido e conceituado, como “Matéria Escura”…!

https://pt.wikipedia.org/wiki/Matéria_escura

Amados! A definição de algo, ou seja, a partir do momento em que algo é ou pode ser definido, ele deixa de ser inexistente, “para nós”, e passa a ter uma existência, mesmo que diferenciada, incompreensiva e que não tenhamos a maior ou menor, que seja, noção de o que realmente isto se trata, mas, a partir do momento em que sabemos, detectamos pela compreensão, de sua existência, este algo ou esta coisa, passa a existir, na verdade, já existia, mesmo que não para nós, por são sabermos de sua existência, mesmo que não soubéssemos ou saibamos o que é! Mas no momento em que a definimos, na verdade a detectamos pela inteligência, sua existência é real para nós!

Por exemplo! Não existe o conceito de “papas”, no plural, pois não existe mais de um papa. Já o de “papisa”, isto mesmo, existe, tendo em vista que, apesar de não ser comum, mas existe uma história que alguns estudiosos dizem, e, que a Igreja tenta esconder, de uma mulher que se fez passar por homem e tornou-se a primeira “papisa”, pois mesmo que ninguém na época soubesse que ele, era na verdade, ela, ou seja, que não era homem, mas sim uma mulher, disfarçada de homem e, mesmo que fora esta história, não existe uma mulher papa. Este fato, foi usado para cria um filme cujo relato diz respeito a esta história, “A Papisa Joana”… Muitos dizem, que esta história, não passa de uma lenda! Na verdade, improvável…!

A Papisa Joana era, segundo esta lenda, uma mulher que teria reinado como papa, e governado a Igreja Católica por dois ou três anos, durante a Idade Média. Embora a história pretensamente tenha se passado no século IX, só surgiu nas crônicas do século XIII, e posteriormente se espalhou por toda a Europa.

Vejam a este respeito!

Arquivos Confidenciais – A Papisa Joana
https://www.youtube.com/watch?v=LfreKTWEWZ0

Papisa Joana – TVCH
https://www.youtube.com/watch?v=cnowReAgqNA

Papisa joana historia proibida pela Igreja Católica
https://www.youtube.com/watch?v=1E7rjFU4z6w

A Papisa Joana (de Heinrich Hadding) Trailer Legendado
https://www.youtube.com/watch?v=uTQiHCPblzo

Amados! Outra coisa, por exemplo, por mais que um dicionário venha a mostrar um conceito para “papas”, no plural, se por acaso ocorrer, mesmo que eu não conheça nenhum que o faça, mas se ocorresse, ele estaria conceitualmente errado, tendo em vista, que não existe mais de um papa. Outra coisa, “Papisa”, como feminino de papa, só existe devido este caso supracitado, pois mesmo que um dicionário conceitue, ou conceituasse, uma mulher papa, mesmo antes de a “Papisa Joana”, não existir, é conceituadamente errado, portanto, foi a partir dela, que este conceito passou a fazer sentido, passou a ser verdadeiro, ou seja, foi a partir dela, que este fato deu sentido ao conceito e a palavra, “papisa”, passou a ter sentido…

Um adendo amados!

Etimologia (origem da palavra papa).

Do latim papa “papas” ou pappa “pappas”.ae; e, ou,

Do grego páppas, “avô”, pelo latim papa-, “papa”…

Percebam que, “páppas”, não se trata de plural, mas do conceito grego para “papa” e quer dizer, “avô”… Alguns especialistas ainda chegam a dizer que, “papas”, significa ainda, pai duas vezes, tendo em vista que é pai e avô, conhecemos bem este conceito!

Bom! A primeira vez que se ouviu falar sobre a antimatéria foi em 1928, o físico inglês Paul Adrien Maurice Dirac, propôs o novo conceito após revisar a equação de Einstein, considerando que a massa também poderia ser negativa, dessa forma a fórmula mundialmente conhecida ficaria assim: E=+/-mc2. A antimatéria, portanto, é um conceito criado pelo físico inglês Paulo Dirac, em 1928 e este conceito foi baseado nos estudos de Albert Einstein.

Paul Adrien Maurice Dirac OM, FRS foi um físico teórico britânico. Estudou engenharia elétrica na Universidade de Bristol, completando o curso em 1921. Em 1923 se formou em matemática e recebeu uma bolsa de pesquisa no St. John’s College, na Universidade de Cambridge.

Paul Adrien Maurice Dirac, recebeu a medalha de OM, A Ordem de Mérito, do inglês: Order of Merit, A Order of Merit é uma honraria muito prestigiosa e que vai além do sistema tradicional de honrarias que confere títulos e, é a mais prestigiada honra que ainda tem uso regular. E, também foi honrado com o título, Membro da Royal Society do inglês: Fellow of the Royal Society – FRS, que é um título honorífico concedido a cientistas notáveis e também um tipo de afiliação da Royal Society para o Melhoramento do Conhecimento Natural.

https://minilua.com/afinal-contas-que-antimateria/

Vejam Conceitos de Antimatéria:

https://www.oficinadanet.com.br/artigo/ciencia/o-que-e-antimateria

https://www.grupoescolar.com/pesquisa/materia-e-antimateria.html

https://universoracionalista.org/10-coisas-que-voce-talvez-nao-saiba-sobre-antimateria/

https://www.grupoescolar.com/pesquisa/albert-einstein.html

https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2015/05/05/clique-ciencia-o-que-e-afinal-a-antimateria.html

https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/antimateria.htm

https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/fisica/o-que-e-antimateria.htm

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-e-antimateria/

Amados! Agora falaremos de uma das cartas mais famosas da história! A carta de Albert Einstein, falando-nos sobre “DEUS”!

De acordo com os menos desavisados, Einstein seria um ateu, ou seja, ele teria negado a “DEUS”, pois, como muitos defendem e gostam de dizer, que ele disse: “a palavra de Deus para mim não é mais que a expressão e produto da fraqueza humana“, e ele realmente disse isto! E, desta forma estaria negando a existência de “DEUS”, de acordo com estes mesmos desavisados!

Uma Análise da Carta de Albert Einstein sobre “'DEUS'Mas amados! Fato é que, assim como interpretaram erroneamente, Jean Paul Sartre, o interpretam também, ou seja, Sartre não negou a existência de “DEUS”, mas ao tratar de uma força vital superior, da qual ele não entendia, ou seja, ele diante de sua inteligência filosófica, mas, por sua imaturidade intelectual em respeito a questões Espirituais, prudentemente, preferiu o deixar de lado, ou seja, esta força a qual ele não conhecia, de fora de suas palavras, de seus conceitos e convicções, com certeza, por não entendê-lo e justamente por causa de homens como ele e Einstein, assim como muitos outros, que alguns estudiosos criaram o que chamamos hoje de: “A Teoria do Design Inteligente”, uma forma moderna de se referir a ele, “DEUS”, como criador de todas as coisas. E, como se isto mudasse alguma coisa; quer seja, “DEUS”, ou um “Design Inteligente”, ele é real!

REVISTA IHU ON-LINE,

http://www.ihu.unisinos.br

http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/585316-deus-e-a-carta-de-einstein

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/542908-assinado-albert-einstein-esquecida-em-um-cofre-por-decadas%20

https://gauchazh.clicrbs.com.br/porto-alegre/noticia/2015/05/carta-de-einstein-achada-no-rs-e-autentica-acredita-biografo-do-cientista-4766515.html

https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/carta-escrita-ha-60-anos-por-einstein-e-encontrada-em-escola-de-porto-alegre/

Não devemos nos esquecer de um fator importantíssimo, e que temos que considerar, que é o conceito de: Deísta, Teísta e Ateu…

Deísta – Deus aparece no cosmos como algo, uma luz, uma força inteligente,

Teísta – Concebe um Deus, personificado e, ainda,

Ateu  – Que não se encaixa em nenhuma das hipóteses anteriores, só existe o acaso e, a matéria.

Deísmo – “Deus aparece no cosmos como algo, uma força inteligente”, doutrina que considera a razão como a única via capaz de nos assegurar da existência de Deus, rejeitando, para tal fim, o ensinamento ou a prática de qualquer religião organizada. O deísmo difundiu-se principalmente entre os filósofos enciclopedistas e foi o precursor do ateísmo moderno. O que nos deixa claro de o quanto a filosofia deixou marcas deveras danosas na percepção do verdadeiro conceito sobre, o que é o Cristianismo, sobre o que é ser “Cristão” e que permeia distorcendo este conceito até hoje… Ah! Vale lembrar ainda, que as consequências disto, fez João Calvino perseguir, humilhar e mata muita gente! E que isto estar muito atrelado à inquisição…,

Teísmo – “Concebe Deus como uma pessoa”, doutrina comum a religiões monoteístas e sistemas filosóficos frequentemente inclinados ao Fideísmo[doutrina teológica que, desprezando a razão, preconiza a existência de verdades absolutas fundamentadas na revelação e na fé], caracterizada por afirmar a existência de um único Deus, de caráter pessoal e transcendente, soberano do universo e em intercâmbio com a criatura humana.,

Ateu – “Só existe o acaso e a matéria”, que ou, o que não crê em Deus ou nos deuses; ateísta. Uso: pejorativo. Que ou aquele que não revela respeito ou deferência para com as crenças religiosas alheias; ímpio, herege.

Antony Flew, o patriarca do ateísmo, em um “insight”, ou seja, em um destes momentos de lucidez, de introspecção; que são raros em determinados intelectuais, afirmou, em um simpósio realizado na Universidade de Nova York, que ele aceitava a existência de DEUS “por coerência”, ou seja, a ideia de “DEUS” em relação aos conceitos, antes estabelecidos por ele, e que o havia guiado, naquilo em que acreditava. Seu ateísmo, conduzindo-o aonde a sua frágil argumentação racional o levasse. Sua mudança de crença, não tinha nada a ver com a fé, muito menos, com as Igrejas ou com confissões religiosas, mas era o reconhecimento de que a explicação pela crença era muito mais sólida e racional, que o ateísmo, do qual tinha sido líder até então.

É bom lembrarmos, que foi através da explicação do Big Bang, que ele chegou à conclusão, de que já não valia mais a pena continuar a defender o fato de que o cosmos fosse pura e simplesmente matéria e nada mais… Segundo Flew, seria muito mais razoável concluir que “o Big Bang inicial exigia um certo tipo de Causa Primeira” e que, segundo ele, não teve outra escolha a não ser negar o ateísmo do qual havia liderado e em que havia militado até então. Na verdade, creio que ele percebeu os quão antiquados e inadequados, eram seus pensamentos a este respeito… Isto foi um soco no estômago de muitos outros!

Cart-einstein-godAmados! É bom lembrarmos ainda, que Albert Einstein, se recusa a crer, como esta escrito e claro em sua carta, na existência de um Deus pessoal, mas, que o reconhece no cosmos, na natureza e na vida, assim como em lugares onde transparece uma Inteligência deslumbrante e inacessível, mas que, ao mesmo tempo impessoal e considera ainda, que o deísmo seja a explicação mais racional, ou seja, ele considera a razão como a única forma, capaz de nos assegurar da existência de Deus, rejeitando, para tal fim, o ensinamento ou a prática de qualquer religião organizada. É bom lembrarmos também, que o deísmo difundiu-se principalmente entre os filósofos e enciclopedistas e foi o precursor do ateísmo moderno, que em meu ponto de vista, “isto explica tudo”, ou seja, os devaneios de alguns que no passado deixaram marcas bem nocivas à sociedade em se tratando de conceitos Cristãos…

Agora analisemos algumas das ideias refletidas, ou seja, contidas em algumas palavras de Einstein!

“profunda certeza de um poder superior que se revela no universo, difícil de ser compreendida, forma minha ideia de Deus.”
Albert Einstein

“Aceito o mesmo Deus que Spinoza chama de Alma do Mundo. Não aceito um Deus que se preocupe com nossas necessidades pessoais.”
Albert Einstein

“Não imagino um Deus a recompensar e castigar o objeto de sua criação. Não posso fazer ideia de um ser que sobreviva após a morte do corpo. Se semelhantes ideias germinam em um espírito, para mim ele é um fraco, medroso e estupidamente egoísta.”
Albert Einstein

Bom! Tudo isto, só confirma e reafirma o que Einstein já havia dito várias vezes. Na verdade, Einstein questiona apenas pontos específicos que faz parte do caráter de “DEUS”, por o mesmo não conseguir entendê-lo, assim como Jean Paul Sartre também não o entendia e justamente por este motivo, preferiu deixa-lo de lado de seus conceitos, entretanto, nesta carta em questão, Einstein foi bem mais duro com sua tradição religiosa e, de seus pais, o judaísmo, e também com o cristianismo, a incrível leveza da ignorância; em se tratando das questões espirituais, de um dos homens mais sábios do mundo, e, neste sentido, “ele é a criancinha da qual falou”, infantil e imprudente!

Vejam o que ele nos diz a respeito!

“A Bíblia é uma coleção de lendas honoráveis, mas ainda assim primitivas que são, do mesmo modo, muito infantis.”,
Albert Einstein

“Para mim a religião judaica, como todas as outras religiões, é uma encarnação das superstições mais infantis.”,
Albert Einstein

Toda a confusão que existe sobre a crença de Einstein em Deus, ocorre porque as pessoas não estão familiarizadas com as tradições e conceitos filosóficos e, principalmente por não saberem interpretar corretamente, o que se diz na língua portuguesa, ou seja, as pessoas não sabem interpretar textos! Além da língua, de outra forma, não buscam fontes confiáveis de conhecimentos a respeito do assunto em questão! Estas são características de um verdadeiro doutrinador…!

O “DEUS” ao qual Einstein se refere é muito mais filosófico, ou seja, ele, Einstein, esta tão limitado em sua espiritualidade, principalmente neste sentido, no sentido espiritual, que chega a ser gritante! Um bom exemplo disto, temos os conceitos definidos de “DEUS”, a exemplo de João Calvino, que ver um ”DEUS”, na verdade, ele criou um “DEUS” tão cruel, que escolhe alguns de sua maior e sublime criação para lhes dar a vida eterna e outros, para a condenação eterna! E mais, o conceito de Einstein sobre “DEUS” estar muito mais próximo, do Deus idealizado pelo filósofo judeu Baruch Spinoza(1632-1677), citado tanto na carta de 1954 quanto em outros escritos. A grande diferença entre estas duas concepções sobre “DEUS”, é que, enquanto uma se refere à percepção racional de filósofos, e que, neste caso, seria a ideia de uma força infinitiva, para alguns filósofos e, algo como, meio que imóvel, para outros! Mas que, em “Spinoza”, este “DEUS” é uma inteligência superior, que da sentido e ordem às coisas, enquanto que o “DEUS” Revelado na tradição judaico-cristã, se refere a um “DEUS” que se revelou aos homens nas “Escrituras Sagradas” e os guia até hoje, àqueles que se dispõe a ouvi-lo!

Percebam amados, que a questão, não se trata da existência ou não de “DEUS”, mas sim, de aspectos de seu caráter…! Quando Einstein diz: “Aceito o mesmo Deus que Spinoza chama de Alma do Mundo. Não aceito um Deus que se preocupe com nossas necessidades pessoais.”, estas palavras por si só, já nos revela que ele crer sim em “DEUS”, mesmo sem entendê-lo muito bem…!

A revelação, por si só, seria a comprovação da existência de Deus; considerando é claro, que muitos imprudentemente, usavam a suposta descrença de Einstein a inexistência de “DEUS”, por ele ser quem ele é, ou seja, um dos maiores físicos do mundo, se não, o maior, e, portanto, “se ele falou tá falado!”, isto é fato e, a concessão e autoridade máxima das “Escrituras Sagradas”, dispensando qualquer necessidade de “comprovação racional ou científica”. Acreditar nesta revelação é, portanto, um ato de fé. E diferente do que muitos pensam a ciência tanto tem provado a existência de personagens Bíblicos, que o ato de desvincular descobertas científicas com a existência de “DEUS” é no mínimo incoerente, vejam nos link’s abaixo.

https://aresistenciadaverdade.wordpress.com/2017/03/01/encontrado-o-sinete-do-rei-ezequias/

https://www.gospelprime.com.br/selo-rei-ezequias-jerusalem/

http://arqueovox.com/arg_o-selo-de-um-rei-da-biblia-descoberto-em-jerusalem.html

https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/cientista-comenta-descoberta-do-selo-do-rei-ezequias-confirma-palavra-de-deus.html

Marca rara de selo do rei Bíblico Ezequias é encontrada em Jerusalém
https://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKBN0TL1HM20151202

https://blogaultimatrombeta.wordpress.com/2015/12/04/selo-do-rei-ezequias-e-encontrado-durante-escavacoes/

http://arqueovox.com/arg_jerusalem-descoberta-de-um-selo-do-governador-da-cidade-de-2700-anos.html

https://segredosdomundo.r7.com/5-fatos-da-biblia-que-a-ciencia-confirma/

https://www.gospelprime.com.br/arqueologo-confirma-existencia-de-53-personagens-biblicos/

https://www.raciociniocristao.com.br/2015/05/arqueologia-comprova-50-personagens-biblicos/

https://hypescience.com/evidencias-cientificas-sobre-historias-biblicas/

https://www.fatosdesconhecidos.com.br/7-descobertas-arqueologicas-que-comprovam-fatos-descritos-na-biblia/

https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2015/07/5-evidencias-cientificas-que-dao-sentido-episodios-da-biblia.html

MaterialGospel.com
Personagens Bíblicos comprovados
https://www.youtube.com/watch?v=uAK2UdgAQ64

Este Deus revelado é também um Ser com características antropomórficas (descrito ou concebido sob uma forma humana ou com atributos humanos; antropomorfo) e demonstra piedade, severidade e preocupação com os homens. O Deus dos filósofos, por sua vez, é uma constatação racional, no, sentido mais amplo da palavra, mas que na verdade restritivo de algo que está muito além da razão humana, base fundamental da existência, mas que não tem características humanas e não se liga às necessidades dos homens. É apenas um conceito, por assim dizer, ainda que cause desconforto e diverge em opiniões entre filósofos e pensadores, como causou em Einstein, assim como em tantos outros…

Para os filósofos, “DEUS” nos criou, colocou-nos em um mundo maravilhoso do qual estragamos e agora estamos abandonados à própria sorte. Não sei qual “DEUS” é pior, o que João Calvino criou ou, o que os Filósofos criaram…! E nenhum dos dois, condiz com o verdadeiro “DEUS”, o que esta lá, nas “Escrituras Sagradas”…!

Existe ainda outro fato bastante revelador em respeito às crenças de Einstein!

bibliaeinsteinEm um leilão na Bonham’s, em Nova York, Estados Unidos, um exemplar de uma Bíblia foi arrematada por R$ 150 mil… E o porquê desta Bíblia ser tão importante, além é claro de ser a “Palavra de DEUS”. O valor é porque a Bíblia contém uma dedicatória assinada pelo físico alemão Albert Einstein e sua esposa, Mileva Marić.

Na dedicatória, Einstein escreveu que a Bíblia “é uma grande fonte de sabedoria e consolo que deve ser lida frequentemente“, e que, de acordo com o “NY Times”. O casal presenteou uma amiga com a Bíblia, em fevereiro de 1932.

Vejam que ele seria um hipócrita orientando alguém a crer naquilo em que ele não cria, mas já vimos que ele cria sim em “DEUS”, mesmo que sem o entendimento adequado, mesmo que sem entendê-lo muito bem, a exemplo de Sartre!

https://www.portalpadom.com.br/biblia-com-dedicatoria-de-albert-einstein-e-vendida-em-leilao/

https://www.pavablog.com/2013/07/01/einstein-a-biblia-e-uma-grande-fonte-de-sabedoria-e-consolo-que-deve-ser-lida-frequentemente/

https://noticias.gospelmais.com.br/biblia-albert-einstein-escreveu-dedicatoria-vendida-150-mil-57738.html

https://guiame.com.br/gospel/mundo-cristao/albert-einstein-sobre-biblia-grande-fonte-de-sabedoria.html

https://www.irmaos.com/6487-biblia-em-que-albert-einstein-escreveu-dedicatoria-e-vendida-por-r-150-mil/

Infelizmente, para alguns ideólogos infames, não importa o que Einstein escreveu ou disse, mas sim, o que eles pensam a respeito, portanto, as palavras de Einstein, são simplesmente ignoradas, se não, distorcidas e fadadas ao esquecimento por estes mesmos inconsequentes, irresponsáveis e, que são responsáveis por difundirem mentiras…! Vale tudo em função de enganar as pessoas, a sociedade…!

Einstein foi um pacifista por toda a vida e lutou contra a proliferação das armas nucleares após a Segunda Guerra. Segundo se sabe, em 1952, o primeiro-ministro israelense, David Ben-Gurion, ofereceu a Einstein a presidência do Estado de Israel, mas ele não aceitou devida sua idade avançada.

O britânico Trevor Lipscombe, um dos principais biógrafos de Albert Einstein (1879-1955), acreditava, que esta carta encontrada no Colégio Anchieta e atribuída ao físico alemão é autêntica. O documento, dirigido aos alunos da escola de Porto Alegre e datado de 1951, foi encontrada em um cofre da instituição de ensino.

A adorável frase “não siga o exemplo da galinha quando você pode ser a cotovia” tem a ludicidade que se acha com frequência nas cartas de Einstein aos jovens.

O interessante disto, é que “Cristo”, ao usar o exemplo da galinha, a usou em uma de suas analogias, em seus ensinamentos, como um animal acolhedor, protetor…!

Mateus 23:37 – “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste!”…

A carta, foi endereçada ao filósofo Erik Gutkind, autor do livro “Choose Life: The Biblical Call to Revolt”, que significa, em tradução livre, “Escolha a Vida: O Chamado Bíblico para a revolução…

https://gauchazh.clicrbs.com.br/porto-alegre/noticia/2015/05/carta-de-einstein-achada-no-rs-e-autentica-acredita-biografo-do-cientista-4766515.html

https://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2017/05/1880865-por-que-as-galinhas-sao-muito-mais-inteligentes-do-que-voce-imagina.shtml

E vejam que interessante a respeito das galinhas!

Por que as galinhas são muito mais inteligentes do que você imagina
https://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-39695552

A palavra Deus não é para mim mais que a expressão e o produto da fraqueza humana“, escreveu Albert Einstein em uma de suas cartas mais famosas, com data de janeiro de 1954, aos seus tinha 75 anos. Esta carta, foi uma resposta ao filósofo judeu alemão Eric Gutkind, que havia enviado para Einstein uma cópia de seu livro Escolher a Vida: O Chamado Bíblico à Rebelião. Na carta de duas páginas, manuscrita em alemão, Einstein aborda além de religião, fala sobre sua identidade judia e a própria busca do sentido da vida. Para ele, não era um devaneio e crise de identidade espiritual, mas uma reflexão em respeito a um “DEUS” do qual ele simplesmente não entendia e como o pregavam em sua época…

A carta apesar da diplomacia utilizada, mas seu foco principal era a crítica de Einstein ao livro. Einstein, qualifica a religião judaica como uma “encarnação supersticiosa”, assim como todas as religiões, e diz que a Bíblia é “uma coleção de lendas veneráveis, mas bastante primitivas”…

“Nenhuma interpretação, não importa quão sutil seja, mudará meu ponto de vista sobre isso.”
Albert Einstein

“O povo judeu, ao qual pertenço de bom grado, e em cuja forma de pensar me sinto
profundamente ancorado, não tem para mim nenhum tipo de dignidade diferente do restante dos povos. Segundo a minha experiência, os judeus não são, na realidade, melhores que outros grupos humanos”,
Albert Einstein

…escreveu o físico Albert Einstein!

O livro foi o terceiro publicado por Gutkind. Nele, o filósofo apresentava a Bíblia como um chamado à luta e ao judaísmo, Israel como uma nação privilegiada e incorruptível. Ainda que Einstein tenha criticado abertamente esses pontos, mas também assinalou na carta alguns pontos controversos e convergentes.

“Agora que expressei de forma aberta nossas diferenças do que diz respeito às convicções intelectuais, ainda tenho claro que estamos muito próximos, “em pensamento”, acerca do essencial, ou seja, em nossas avaliações sobre o comportamento humano”,
Albert Einstein

“Creio que nos entenderíamos muito bem se conversássemos sobre coisas concretas”,
Albert Einstein

Percebam que esta frase: “Creio que nos entenderíamos muito bem se conversássemos sobre coisas concretas“, nos deixa claro que seu lado espiritual, não era bem aguçado…!

Einstein apesar de judeu, tinha pensamentos distorcidos em respeito às religiões e que teve forte influência quando e durante sua estada em Zurique, na Suíça, quando os livros do filósofo Baruch Spinoza caíram em suas mãos. O Deus de Spinoza era amorfo e impessoal, responsável pela ordem do Universo e pela beleza da natureza. Essa linha de pensamento se enraizou profundamente no filósofo.

O Verdadeiro Educador, Merece o Título de Professor e Mestre, mas já o Doutrinador, Merece Cadeia!
Rogério Silva

Rogério Silva
https://rogeriorsf.wordpress.com
https://discernimento-espiritual.blogspot.com
https://familiaerelacionamentos.blogspot.com
https://revistaodespertar.blogspot.com
https://www.youtube.com/channel/UC2Vi4oUtsm2701KJhhHUpbA
ir.emcristo@gmail.com
IEADERN: 042574, 26.07.2005
(84) 99120-9471 / 99622-8473

Anúncios

Um comentário em “Uma Análise da Carta de Albert Einstein sobre “DEUS”!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close